quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Abraça-me

Abraça-me. 
Preciso do teu abraço para me sentir forte. 
Choro imensamente na solidão dos meus sentimentos. Motivos diversos. Motivos nulos. Não consigo controlar esta necessidade. 
Olha-me nos olhos e diz que em alguma parte do mundo existe alguém que gostará de mim tal como sou. Eu sei que é difícil, mas preciso de acreditar que é possível. Sei que estou repleta de complicações e que aturar-me será um sacrilégio para qualquer um que o tente fazer, mas eu necessito que haja quem seja capaz. 
Agora abraça-me e deixa que eu permaneça no teu abraço. 
Não sei se consegues ver como me sinto desolada. Consegues!? Então aperta-me nesse abraço e não me largues já. 
Quero perceber, no silêncio do teu olhar, que posso contar contigo. 
Neste momento, não sei onde estás nem quem és. Podes ser a pessoa que mais irei amar na vida, podes ser alguém que se foi embora e não volta, podes ser somente mais uma folha do meu diário inexistente, podes ser apenas o conforto das palavras. 
Não sei quem és, mas abraça-me, só desta vez.

Sem comentários:

Enviar um comentário