segunda-feira, 24 de agosto de 2015

O que quer dizer "amo-te"!?

Matilde olhava, orgulhosa, para o seu filho. 

-Amo-te – disse. 
-O que quer dizer “amo-te”, mãe? 
-Quer dizer que gosto muito de ti!
-Então porque não disseste só “gosto muito de ti”?
-Porque amar é gostar muito muito muito, uma infinidade de “muito’s” e assim digo tudo o que sinto numa só palavra.
-Mas podias dizer “gosto uma infinidade de muitos de ti”.
-Podia. Mas amar também é mais do que gostar uma infinidade de muitos. Amar é cuidar, é ter paciência e ser compreensiva. Amar é perdoar e ensinar, é viver e crescer junto. Amar é acolher para sempre. Amar é um sentimento muito forte, indestrutível. Depois de amares alguém, nunca mais será possível voltar atrás e deixares de amar. 
-E tu amas-me?
-Claro que amo, meu filho! 
-E eu também te amo, mãe!?
-Eu acho que sim, mas só tu podes ter a certeza. 
-Eu também acho que sim, que te amo. Mas quando tiver a certeza irei dizer-te, está bem? 
-Combinado, filho. 

Matilde beijou a face do pequeno Eduardo e sorriu. 


Passaram 13 anos, o pequeno Eduardo é já grande com os seus 16 anos. 
Depois de mais um dia de escola, entrou em casa com o verde dos olhos tapados pelas lágrimas. 

-Mãe, a Ângela disse-me uma coisa que não consigo esquecer. 
-O que foi que ela te disse? 
-Disse “Amo-te”.
-Que bom, meu filho. Isso é porque está apaixonada por ti e quer namorar contigo. 
-Também foi isso que eu pensei. 
-Então porque choras, rapaz?
-Porque ontem, cinco semanas depois de lhe ter pedido em namoro e ela ter aceitado, disse-me que já não gostava mais de mim e queria afastar-se. Antes de sair da escola, hoje, vi-a com o Rodrigo e ouvi o que ela lhe disse. “Amo-te”, tal como dissera a mim algumas semanas antes. Ela disse que me amava e depois disse que já não amava e agora disse-lo ao Rodrigo também e se daqui a umas quantas semanas ela disser que já não ama o Rodrigo e decidir amar outro e não pode ser porque não foi isso que tu me ensinaste sobre o verbo amar!
-Oh meu filho, ela não te ama nem nunca te amou e se daqui a umas quantas semanas ela disser que já não ama o Rodrigo também nunca o terá amado a ele. Quem ama, ama para sempre. 

Matilde olhou o filho nos olhos e sentiu o seu coração de mãe doer, como haveria de explicar ao filho a banalização feita a tão grande palavra, a tão grande sentimento?

-Essa rapariga nunca teve ninguém que lhe explicasse, como eu te expliquei, o que quer dizer “amo-te”. 
-Mãe, eu pensei tantas vezes em dizer-lhe que também a amava… Mas não tinha a certeza se era amor, então permaneci calado. Ainda bem que nunca usei essa palavra, não quero que ninguém se sinta como eu me sinto agora, enganado e traído. Só a direi quando estiver certo que será para sempre. 
-Fazes muito bem, meu filho. É por isso que tenho tanto orgulho em ti. E sei que a mulher que ouvir o teu primeiro “amo-te” será a pessoa mais sortuda do mundo!
-Mãe? 

Eduardo limpou as lágrimas e chamou pela mãe.
-Sim, meu querido!?
-Eu amo-te, mãe!

Sem comentários:

Enviar um comentário