terça-feira, 6 de outubro de 2015

Chamam-lhe outono...

Vagarosamente, 

Como quem caminha, de noite, pela casa fora

E teme acordar a família que já dorme,

Desprende-se uma folha da árvore semi-despida.

Não sente pudor em expor-se,

Apesar da idade já avançada.

Solta-se uma e outra folha

E a árvore fica integralmente nua...

Chamam-lhe outono.

Não é bonito e repleto de sensualidade!?

1 comentário: